Abr. 06

Como é que o swipe file te pode ajudar a gerir redes sociais?

 

 

Todos aqueles que são responsáveis pela gestão de várias redes sociais e pela respetiva criação de conteúdo certamente já se viram sem inspiração e/ou num assoberbamento tal que não sabiam para onde se virar! A pensar nos accounts, nos copywriters e nos designers que buscam alguma luz ao fundo do túnel, hoje falamos de uma importante ferramenta para quem trabalha na área do Marketing: o swipe file.

 

O que é um swipe file?


O swipe file é um banco de dados pessoal que o próprio marketeer/designer pode criar e ir atualizando. É composto por várias ideias (copy, imagens, vídeos, artigos, anúncios, campanhas de e-mail marketing, landing pages, newsletters, entre outros) que vamos encontrando aqui e ali, que nem sempre têm utilidade naquele exato momento, mas nas quais vemos qualidade e uma possível utilidade/inspiração no futuro. Também podemos guardar conteúdo criado por nós, mas que hoje foi útil para um cliente e que amanhã poderá ser adaptado a um outro produto, a um outro cliente, a um outro nicho de mercado.

Esta ferramenta é, no fundo, um “arquivo do futuro”, personalizado, organizado de acordo com as nossas preferências, e que pode ser guardado na ferramenta que bem entendermos – na nuvem, por pastas; numa app de organização (Trello, Notion, Evernote, Google Keep, ...); num bloco de notas (analógico ou digital), etc. Tudo dependerá do conteúdo com que trabalhamos e da forma como o nosso pensamento se estrutura. O objetivo é recorrermos a este repositório sempre que precisamos de inspiração ou de seguir algum exemplo que de alguma forma nos oriente, sem termos de partir do zero. Não é, de todo, um incentivo à cópia, mas antes uma referência.

Na verdade, já (quase) todos fazemos mais ou menos isto, mas de forma totalmente desorganizada e que nem sempre nos poupa tanto tempo assim!

 

Mas por onde começar o meu swipe file?

Define aquilo de que precisas: trabalhas com o quê? Se geres redes sociais, podes ter como principal objetivo guardar posts com bons resultados e anúncios pagos, por exemplo

Define os critérios que fazem de cada conteúdo um conteúdo de qualidade e, consequentemente, de referência;

Define onde encontrarás o conteúdo que te é relevante: nas redes sociais dos concorrentes? Na biblioteca de anúncios do Facebook (Facebook Ads Library)? Já aqui falamos de várias ferramentas que te podem ser úteis nesse sentido!;

Escolhe a ferramenta onde o vais criar e os formatos dos arquivos: vais optar por pastas no teu computador? Guardaras as imagens e o texto no processador de texto para ser mais fácil procurar por palavras-chave? Ou usarás ferramentas como o Notion?;

Define a tua organização e a forma como o conteúdo pode ser encontrado facilmente à medida que o swipe file aumenta. Se trabalhas com vários clientes, que tal organizar o swipe file por temáticas?;

— Vai mantendo o swipe file atualizado e organizado;

— Tem em mente que este não é um acervo fechado: podes adicionar/eliminar conteúdos e ir aprimorando a tua própria organização.

 

Quais as vantagens de criar o meu próprio swipe file?

Reduz o tempo que passamos à procura de ideias;

Diminui a probabilidade de ficarmos parados face a um calendário de conteúdos em branco!;

Melhora o desempenho do nosso conteúdo porque o conteúdo que guardamos para referência futura tem resultados testados por outras pessoas.

 

O swipe file é, assim, um recurso muito valioso! Analisando o conteúdo de alguém (que investiu tempo e dinheiro a criá-lo, testá-lo e melhorá-lo), podemos poupar o nosso tempo e o nosso dinheiro, pois vimos o que resulta, o que já foi validado, guardamos para usar mais tarde, agregando valor ao nosso cliente (pode, por exemplo, ajudar-nos a criar campanhas com melhores resultados, diminuindo o custo por lead, ou contribuir para o aumento da taxa de abertura de uma newsletter).

Em resumo, uma boa biblioteca de modelos vai ajudar-nos a “empancar” menos, mas também a sermos mais eficientes!

 

Classifique este item
(0 votos)

ARTIGOS RELACIONADOS