Jan. 14

TENDÊNCIAS DESIGN 2022 - 12 tendências que não podes ignorar em 2022

 

As tendências do design gráfico dos próximos anos vão ser reflexo dos acontecimentos e restrições de 2020. Estes eventos influenciaram a forma como as empresas e os profissionais de marketing comunicam com os clientes. Há mais empresas a apostar em cores vibrantes e houve um movimento visível no sentido de ser mais inclusivo.

Neste ano de 2022, os estilos clássicos também vão regressar de forma inovadora, como uma espécie de mashup de géneros gráficos que parecem familiares. Estas tendências vão ser simultaneamente nostálgicas e frescas, vão ser um passado reinventado, desde o psicadélico dos anos 60 até à estética dos anos 90, fazendo uma mistura entre o velho e o novo.

Neste artigo, vamos falar de cores vibrantes, rabiscos e formas lúdicas que vão trazer de volta as nossas memórias de infância. As tendências tipográficas incluem lettering expressivo, serifas imponentes e outras tendências proeminentes, como os padrões paramétricos, o maximalismo intricado, o escapismo e o revivalismo do grunge.

 

1. Design Inclusivo

 Fonte: pt.venngage.com

O design tem cada vez mais em conta todo o tipo de utilizadores do mercado e, por isso, existem peças cada vez mais acessíveis e inclusivas. Vemos opções mais abrangentes, layouts mais responsivos, paletas de cores personalizáveis e até audiodescrição para permitir que qualquer pessoa tenha a mesma experiência com a utilização do produto, independentemente das suas limitações.

Os recursos visuais, tais como os ícones e imagens, também vão incluindo uma ampla gama de pessoas com uma maior representação das chamadas minorias.

 

2. Nostalgia dos anos 90

© Hiroshy

Em 2022, o retro vai fixar-se nos anos 90 e, como muitas tendências desta lista, os anos 90 regressam com roupagem diferente. Porém, esta tendência depende muito da nossa idealização do passado. O design vai buscar o old-school com uma sensação de conforto através de padrões do estilo Memphis, emojis simples e blocos de cores vibrantes para nos trazer aquelas memórias da nossa infância.

 

3. Lettering expressivo e experimental

© Ayseguldere

Esta tendência está focada na experimentação e na expressão pessoal, por isso, a criatividade vai ultrapassar os limites da legibilidade através de formas alucinantes e estilos de letra incompatíveis, como um desafio na distinção entre essas formas abstratas e as letras legíveis.

 

4. Design plano Ukiyo-e

© LittleFox

Os artistas Ukiyo-e do período Edo do Japão são pioneiros em design plano. Este era um estilo de arte impressa através de xilogravuras esculpidas à mão. Os designers estão a inspirar-se nesta técnica, usando o mesmo efeito nos vetores.

 

5. Doodles sonhar acordado

© WeInnov8

Os doodles, ou rabiscos, são formas sem sentido que são desenhadas quando a mente divaga - e o que nós rabiscamos pode dizer muito sobre nós mesmos. Estes desenhos aleatórios são muito pessoais e cada vez mais vemos designers a colocar o próprio imaginário abstrato no seu trabalho profissional, preenchendo, assim, a lacuna entre o digital e o toque humano.

 

6. Anti-Design

© goopanic

Na última década, vimos crescer o cenário digital com as aplicações que dispõem de interfaces focadas na usabilidade, o que levou a uma homogeneização das mesmas. Mas muitos criativos tentam rejeitar as convenções do design tradicional através do anti-design, quebrando as regras e desafiando com assimetrias, cores conflituosas, demasiados elementos e tipografia austera.

 

7. Escapismo

© Beatrice Blue

Em 2021, vimo-nos encurralados em casa durante períodos de tempo bastante longos e alguns designers começaram a investir mais na criação de mundos fantásticos, como uma espécie de escape ao mundo real. Surge, assim, o escapismo, cheio de cores inesperadas e personagens do imaginário. Tanto o artista como o público podem experienciar uma expansão da imaginação nesses trabalhos.

 

8. Renascimento do grunge

© semnitz™

O grunge é uma espécie de reencarnação da angústia e tem uma presença muito física através de elementos como páginas rasgadas, caligrafia rabiscada e rasurada, numa espécie de rebelião contra os grafismos simples e “limpos” da era digital. Esta estética vive de energia e à medida que as manchas de tinta deixam rasto criam uma sensação de movimento emocional.

 

9. Bubble design

© goopanic

Em 2022, esperamos encontrar gráficos reinventados com estilos de letras arredondados. Estas formas em bolha têm um efeito bastante positivo, já que os círculos costumam transmitir leveza e simpatia. Mas, ao contrário das fontes em forma de bolha típicas, esta tendência irá ser mais exagerada nas formas alongadas e cores psicadélicas, mantendo alguma sobriedade mesmo quando têm uma essência infantil.

 

10. Padrões paramétricos

© Redsoul™

Os padrões são essenciais no design gráfico. São usados de forma a criar interesse visual num fundo plano mas, este ano, esses padrões vão deixar o plano secundário e passar para o primeiro plano através dos padrões paramétricos. A geometria paramétrica consiste em estruturas geométricas intrincadas, em que cada linha se transforma, dependendo da sua posição. Este estilo é baseado em equações paramétricas e, embora a sua base venha da geometria, estes padrões são fluídos e muitas vezes tridimensionais, conseguindo, assim, uma sensação de movimento, em contraste com a rigidez arquitetónica.

 

11. Minimalismo funcional

Fonte: https://www.everyday-needs.com/ 

O minimalismo já faz parte da era digital há algum tempo e esta tendência continua a expandir para a funcionalidade em sites e peças interativas. Muitos profissionais procuram criar experiências complexas através de interações simples, e o minimalismo consegue derrubar barreiras que possam ser complicadas para o utilizador – facilitando, assim, a conversão. O minimalismo funcional pode classificar-se como um tipo de design mais estratégico.

 

12. Maximalismo intricado

© Ega Elanda

Embora seja tentador definir o maximalismo como contraste do minimalismo, este não consiste apenas no preenchimento do espaço, mas sim no seu preenchimento com objetos, cores e padrões que reflitam o artista. Essencialmente o criativo foca-se nas peças individuais e quando vemos a imagem como um todo, pode tornar-se confusa nos seus elementos aglomerados e conflituosos. Por vezes, as memórias e lembranças injetadas no trabalho, apenas têm significado para o seu criador.

Que tendência achaste mais interessante? Entusiasmado(a) para vê-las aplicadas na prática? Partilha o teu pensamento nos comentários!  

 

 

Classifique este item
(0 votos)

ARTIGOS RELACIONADOS