Jun. 16

Marketing de Guerrilha

 

O Termo “Marketing de Guerrilha” foi inventado pelo Jay Conrad Levinson, que se inspirou na Guerra do Vietname (1955-1975) para a criação desse conceito. 

Sendo o Marketing de Guerrilha uma estratégia de promoção de produtos ou serviços pouco convencionais, que tem como principal objetivo surpreender e criar uma experiência memorável nos consumidores, podemos dizer que existem algumas semelhanças entre estas ações de Marketing e a guerra do Vietname.

Com um número inferior de recursos face aos seus inimigos, os vietnamitas conseguiram vencer a guerra, focando em estratégias de guerrilha e atacando os seus inimigos de surpresa.

À semelhança das ações de Marketing de Guerrilha, o foco não são efetivamente os recursos ou o investimento, mas sim a criatividade e impacto que uma campanha pode ter no público.

Ao longo dos tempos várias marcas fizeram este tipo de comunicações e algumas tiveram grande impacto e até excederam as expectativas previstas para essas mesmas campanhas.

 

5 dicas para uma criar uma campanha de Marketing de Guerrilha

 

1. Seja original

Um dos principais elementos de uma boa ação de marketing de guerrilha é a originalidade, só assim é que a sua marca se vai destacar e criar uma campanha que fique na memória do público. 

Evite correr atrás das tendências ou daquilo que já foi feito por outras empresas, vai ter muito mais resultados se se focar em fazer uma campanha com um conceito exclusivo e único para a sua marca.

No entanto, não tenha problemas em procurar alguma inspiração em casos que tenham sido bem-sucedidos anteriormente, mas sempre com a consciência que cada caso é um caso e o que resultou para uma empresa pode não resultar para a sua.

  

3. Estabeleça Parcerias

Algumas das ações de Marketing de Guerrilha de maior sucesso resultaram da dinâmica entre duas ou mais empresas, através de parcerias ou de interações com a concorrência.

Exemplo disso foi a ação da Microsoft em Chicago: usou a fachada de uma empresa de lavagem manual de carros para promover o seu Tablet “Surface”. Curiosidade: a empresa era muito próxima de uma loja da Apple!

 

3. Defina o impacto pretendido no público

 

Dependendo do tipo de serviço ou produto, o impacto pretendido no público pode variar.

Algumas campanhas de marketing guerrilha podem ser mais sérias ou até podem chocar quem é impactado por elas, no entanto, é necessário ter muito cuidado pois estas ações mais arriscadas podem correr mal e a sua marca pode ficar associada a algo negativo na mente dos consumidores.

Foque em conceitos mais leves e descontraídos para as suas campanhas em que o nível de risco é mais moderado e o impacto pode ser mais positivo.

 

4. Planeie a campanha

Como em qualquer outra campanha, o planeamento é fulcral para o seu sucesso. Defina todos os pontos de execução da campanha para que corra da melhor forma. Tenha em conta a logística e conte com imprevistos, pois é algo que acontece sempre! Por fim, caso tenha decidido fazer a campanha em parceria com outra empresa, deixe sempre o seu parceiro a par e reúna sempre com ele para estarem os dois alinhados relativamente aos pormenores da campanha.

 

5. Avalie os Resultados

A avaliação de resultados é essencial para podermos verificar se foram cumpridos os objetivos da campanha. Numa campanha de marketing de guerrilha é mais complicado, pois normalmente não são campanhas digitais em que temos acessos às métricas em tempo real. É possível monitorizar as métricas das nossas redes e plataformas durante o período em que a campanha está a decorrer e comparar com períodos anteriores, percebendo, assim, o impacto da campanha.

 

Deixamos aqui 5 exemplos de campanhas de Marketing de Guerrilha:

Frontline

A marca de desparasitantes Frontline colocou no piso de um shopping na Indonésia uma imagem de um cão gigante a coçar-se.

A visão de cima criava a ilusão de que as pessoas que circulavam no shopping parecessem pulgas no corpo do cão.

 

Lyft vs Uber 

Nos E.U.A., a Lyft distribuiu pelos seus motoristas bigodes com a cor da marca (cor-de-rosa) para os seus veículos se destacarem da concorrência. 

Mais tarde, a Uber acabou por usar isso também para tentar convencer os motoristas da Lyft a fazerem a transição para a sua plataforma.

Com esta rivalidade saudável entreteram o público e ambas acabaram por ganhar visibilidade. 

 

 

Macdonald's

A McDonald’s, durante a realização do Zurich Fest (a maior festa popular da Suíça e a sexta maior do mundo), pintou as passadeiras com o formato das suas batatas.

Sabendo que, quando este festival está a decorrer na cidade, as pessoas tendem a concentrar-se no interior do evento, esta ação serviu para que as pessoas não se esquecessem da marca durante o festival.

 

 

 

IWC

A marca de relógios IWC levou a cabo uma ação de guerrilha nos transportes públicos, que consistiu em transformar os apoios de mão dos autocarros em “relógios”.

  

Netflix: Orange is the New Black

 A série “Orange is the new Black” fez a promoção da sua nova temporada com uma ação de marketing de guerrilha. Em Paris, a Netflix Transformou a fachada de um prédio numa prisão, o cenário principal onde a série se desenrola. 

As atrizes nas “celas” simulavam as atividades comuns no dia a dia de um recluso, como conversar, fazer flexões entre outras. 

Para os fãs da série, esta comunicação teve um grande impacto e, com certeza,  também suscitou a curiosidade nas restantes pessoas que nunca tinham visto a série.

  

 

Classifique este item
(1 Vote)

ARTIGOS RELACIONADOS